/

Entrevista: Lauana Prado, a nova voz feminina do sertanejo

O tempo passa e, cada vez mais, novas vozes chegam para esquentar o mercado do sertanejo. É o caso de Lauana Prado, cantora e compositora nascida em Goiânia e criada em Tocantins. Ela acaba de lançar o seu primeiro EP, sob supervisão de Fernando Zor e William Santos.

O EP contém seis faixas, todas inéditas e compostas pela própria cantora. Apesar de nova, a jovem mostra-se segura nos vocais e cheia de vida ao interpretar canções que exigem bastante de sua brilhante, e potente, voz.

Em um bate-papo exclusivo, a cantora e compositora Lauana Prado contou tudo sobre sua carreira, o lançamento do seu novo EP e seus próximos passos. Confira a seguir!

Lauana, quando começou a sua história com o sertanejo e quais são as suas principais influências?

Nasci em Goiânia, a minha família é goiana e mineira. Aos dezesseis anos, comecei a cantar na noite, em barzinhos, fazendo um repertório mais vasto, indo do sertanejo até músicas internacionais. Entretanto sempre tive consciência da essência da minha verdade, o estilo da música sertaneja. O sertanejo sempre esteve muito presente na minha criação. No meu processo musical também foi muito importante, apesar de não ter sido o primeiro.

Comecei a cantar na igreja, depois eu fui conhecendo a noite. Isso já tem treze anos. Em alguns momentos da vida eu cantei axé. Tive banda de baile também. Mas sempre sentia que a música era como uma roupa que você veste, nas pessoas fica legal, mas se não tiver confortável em você, não adianta. Então, o sertanejo sempre foi assim, é uma roupa que eu visto e me sinto à vontade.

As composições também surgiram nesta mesma época?

Sim! Na verdade, eu sempre compus, desde criança. Eu gostava muito de escrever e por algum motivo, quis musicar o que escrevia. À medida que o tempo foi passando, fui criando mais maturidade nas letras e na maneira de compor.

Há cerca de dois, três anos, tenho focado profissionalmente como compositora e, graças à Deus, tenho tido resultados legais. Consegui entrar em alguns repertórios importantes no sertanejo, de pessoas que tenho muito respeito, como Fernando & Sorocaba, Edson & Hudson, Roberta Miranda, Solange Almeida, Rionegro & Solimões. Enfim, alguns outros artistas também, menores, mas que foram importantes até mesmo para dar uma autoconfiança enquanto artista.

“Cobaia”, sua atual música de trabalho é a única canção não autoral. Conta pra gente um pouco sobre essa canção e o que motivou a escolha dela como carro-chefe?

Não mais! Inclusive, é algo que vou revelar hoje. Esta é uma música que o Bruno Caliman fez. Ele me enviou a guia da música e, minimamente, eu e o Fernando tivemos uma participação nela e ele, gentilmente, dividiu a parceria da música com a gente. Isso é recente, fiquei sabendo nesta semana. Fiquei muito feliz porque, além de ter uma música assinada com ele, que é um cara que admiro bastante, é uma satisfação pessoal dizer que todas as músicas do EP são minhas.

Na verdade, a música chegou pra mim. O Fernando e o Sorocaba estavam procurando repertório para gravar seu novo DVD e muita coisa ele compartilhava comigo. Uma das músicas que ele me mostrou foi essa, com o Caliman cantando. Só que era uma música feita de um homem para uma mulher, não falava de barba, de maquiagem, de batom. Guardei a música pra mim, de maneira despretensiosa, não era nada que, naquele momento, imaginava fazer. Quando a gente estava selecionando músicas para o meu repertório, lembrei dela ao Fernando. Adaptamos e acabamos participando, um pouco, desse processo. Ela ficou, então, essa coisa incrível que as pessoas tem gostado tanto.

O que aconteceu para a mudança de Mayara Prado para Lauana? Foi só uma mudança de nome ou mudança de carreira?

Foi um momento muito importante pra mim. Muitas pessoas não sabem, mas o meu nome é Mayara Lauana, um nome composto. Para algumas pessoas foi um choque muito grande porque a minha história vem muito antes do Fernando Zor e do Fernando & Sorocaba.

Eu já vinha participando de alguns programas de TV, como caloura. Participei em dois programas do Raul Gil, sendo que em um deles eu ganhei. Costumo dizer que este foi o clímax da carreira da Mayara Prado.

Em 2015 eu vim embora pra São Paulo e aqui eu comecei a batalhar muito por um espaço como compositora, que foi algo que abriu muito o leque pra mim como artista. Em determinado momento conheci o Fernando Zor, ele me perguntou se eu estava independente. Na época, o meu contrato com a Sony já tinha finalizado. Disse para ele que estava buscando oportunidades e ele disse que ia me ajudar. Uma das maiores questões que ele falava era que, para eu assinar, eu precisaria mudar o meu nome artístico. Foi um baque pra mim pois já tinha criado toda uma história. Aquele momento foi muito difícil pra mim. Mas acredito muito no propósito de Deus nessas horas. Tudo tem uma hora certa para acontecer e foi quando eles notaram o meu segundo nome, que nunca tinha sido usado. Assim Mayara virou Lauana Prado.

Você está em fase de lançamento do EP, no segundo semestre vem um novo DVD. O que o público pode esperar de você? Tem novidades?

Tem muitas novidades! Estamos, agora, com a nossa parceira que é a Universal Music, fazendo todo esse trabalho com a gente. Temos batido muito em cima de repertório, que para gente é o que realmente mais importa. Não que as outras coisas não importem, mas a matéria prima é fundamental.

Para o começo do segundo semestre, vamos gravar o DVD, vamos contar com algumas participações.

Já dá para adiantar alguma participação?

Olha, eu não ousaria (risos). Não ousaria por dois motivos: o primeiro é que tenho um monte de patrão (risos). E, segundo, fica mais gostoso, né? Vamos combinar!

Com esse tanto de grandes artistas que já gravaram música sua, a gente pode esperar muita coisa, não pode?!

É, eu acho que a gente vai poder… Agora vai ser a hora que eu vou começar a fazer aquela cobrança, entendeu? “Querido, agora chegou a minha vez, vâmo (sic) me ajudar aí!”, Entendeu? Mas é mais ou menos isso, todo mundo está bem animado, posso dizer isso. A gente está trabalhando bastante com muita motivação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here